Aumento de vagas para Direito

13/07/2010

E mais uma vez as vagas voltam a aumentar, falo no que me toca pessoalmente que é a minha àrea, sinceramente em relação aos outros cursos não sei como está o panorama.
Nós somos muitos é certo.
Já não há lugar para tanto licenciado em direito e as faculdades todos os anos mandam imensos licenciados para o mercado de trabalho, sem a preocupação e obrigação de transmitirem as bases que a selva laboral implica.
Nós não saímos da faculdade com o que é preciso para enfrentar a barra, os patronos exploradores, os oficiais de justiça ignorantes....
E por isso concordo com o bastonário diz quando se refere ao facto de que não vos espera uma vida fácil mas alguma coisa que valha a pena é?
É dificil e ninguém diz o contrário mas se até um sr.dr. que se intitula advogado vai à tv dizer os disparates juridicos que diz, quem é ele para dizer quem pode ou nao ser advogado. Mas isso ele resolve facilmente com um examezito não é?
Posto isto, aqui vai uma vexata question para o Sr. Ministro do Ensino Superior: não acha que já temos faculdades de direito suficientes a formar mal para ainda meter lá mais pessoal?
O problema é daqueles que não tem o factor "C" como adjuvante, porque para estes haverá sempre lugar no mercado de trabalho.

4 comentários:

Gelatina de morango disse...

Também sou dessa área e fiquei perplexa com a notícia do aumento de vagas, é surreal!
Os que já cá estão já estão, pronto! Os que querem entrar também não podemos impedir. Mas aumentar o número de vagas é, no mínimo, rídiculo!
Só pensam em encher os bolsos com as propinas, é uma vergonha.

Periquito disse...

"Bota" ridículo nisso... também ouvi o ministro dizer que em percentagem temos poucos licenciados. é verdade, mas primeiro há que criar bases de mercado para absorver melhor os licenciados e depois aumentar as vagas. Porque não aumentar as de medicina? ah, porque a ordem tem poder para manter o monopólio... é tudo uma questão de dinheiro

Nokas* disse...

Eu ontem ouvi o Ministro do Ensino Superior a dizer que em Portugal havia 1 milhão de licenciados e que o país precisava de o dobro.O ridiculo é que não há mercado nem postos de trabalho para tanto licenciado. E como diz muito bem o Periquito é necessário criar bases para que se possa escoar os futuros licenciados do país. E no que diz respeito a Direito, e outros cursos tb, não percebo como há ainda mais vagas. É que não são só as publicas, por exemplo aqui no Porto também há o curso de Direito em varias privadas. E há trabalho para tanta gente? Não.
[eu juro que não percebo como são feitas estas politicas para a educação]

Bruno Luis Rodrigues disse...

Olá "Klau".

Não sei se já chegaste a esta triste conclusão, mas muitas vezes, muitas vezes mesmo trabalhamos para a estatística. O ministro gago diz que o país necessita de mais licenciados, e fomentaram na cabeça das pessoas a ideia de que também podem ser doutores. CEF'S, PIEF'S, CET'S, Maiores de 23 anos, ensino pós-laboral mais facilitado, ensino à distância...tudo isto são facilidades e ai de quem disser o contrário. O ensino está de rastos porque hoje em dia até se faz um mestrado com matéria da wikipédia e outras fontes duvidososas. O que acontece em direito acontece na engenharia (sabes quantos cursos existem em Portugal com este nome?) e na área social. Existem muitas escolas a leccionar o mesmo, mas a grande maioria não mantém ligação com o mercado de trabalho envolvente, porque se mantivesse saberia que o mercado é insuficiente. Há cursos que pura e simplesmente deveriam encerrar ou ser suspensos temporariamente. O problema é a que as escolas ficariam sem financiamento. Assim, resumindo, temos advogados a mais...assistentes sociais a mais...um BOOM de educadores sociais...um BOOM de gerontólogos... Não há mercado de trabalho. E se alguém tem opinião diferente da minha remato dizendo que a haver mercado, as Instituições não têm dinheiro para pagar vencimentos de mil euros e mais aos técnicos.