Dá sempre para aprender e tirar notas.

11/10/2010


Quando se vai a um casamento, é impossível não reparar em certos pormenores e no meu caso, mais atenta estive porque com os erros dos outros, uma pessoa também aprende, e isso mesmo me disse a noiva. 

Ela levou dois pares de sapatos. Um para a cerimónia e outro para andar mais à-vontade a dançar, sempre no power. Eu levei também dois pares de sapatos e preferi para ir dançar com as minhas sabrinas em vez de ir de salto alto. Eu bem sei que os sapatos da noiva são sempre uma dor de cabeça, têm que ser todos xpto e dizem que a noiva não os deve largar durante toda a festa. Mas no caso dela, ela disse logo que não ia aguentar andar com eles o dia todo. E o bem-estar da noiva é sempre prioritário, não é?

Segundo aspecto a reter: a importância da música/animação numa festa de casamento. No caso do casamento de ontem, diria que eles não tiveram muita pontaria na escolha da pessoa responsável pela música. Não soube puxar pelos convidados, às 23h já tinha ouvido certas músicas 2 ou 3 vezes. E por o músico ser familiar da noiva, passou mais tempo sentado a comer do que a pôr música. E isso condicionou muito o andamento da festa. 

E sabem que mais? Eu cá acho que os fotógrafos são um bocadinho chatos. Eu bem sei que a luz natural do sol já podia estar a fugir e que aquele ângulo não é o melhor e bla bla bla, mas os noivos estiveram mais tempo fora da sala do que com os convidados. E isso acaba por fazer com que os noivos nem se apercebam de metade do que se passa naquele dia – mas é obvio que isso é um consequência muito natural do próprio dia em si – o nervoso, o entusiasmo, o querer viver o dia a mil. 

Pessoalmente acho que o mais complicado é gerir o tempo: evitar que os convidados passem o tempo sentados a comer e aproveitem também os momentos. Sim, porque nisto dos casamentos, há excesso de comida por todo o lado, uma pessoa quer provar um pouco de cada coisa mas é impossível. Mas também há que dançar muito e divertir-se ao máximo, porque ficar sentado a festa toda a comer não faz parte dos planos. 

Ah e já me ia esquecendo:  o livro de honra. Coisa gira que agora se usa. E eu fiz questão de fugir ao tradicional “parabéns e sejam felizes”. Quem estava na minha mesa gozou-me por ter um escrito um “testamento”. Mas vejamos uma coisa: quando for comigo, não quero ler as palavras que todos dizem, espero eu que escrevam a pensar em mim, nele e na importância que esse dia vai ter na nossa vida. Por isso façam o favor de ser originais :)


9 comentários:

Aline disse...

Quando chegar a tua vez, pega nas tuas palavras para abrir o livro. Adorei:
"Não quero ler as palavras que todos dizem, espero eu que escrevam a pensar em mim, nele e na importância que esse dia vai ter na nossa vida. Por isso façam o favor de ser originais :)"

S* disse...

Fizeste tu muito bem... deve-se escrever com o coração.

Lua Escondida* disse...

Ai Noquinhas, estou morta que chegue o teu dia. Vai ser perfeito :')

Bailarina disse...

É por isso que eu não me caso... É muito pormenor... 8)

Mary Jane disse...

Sabes que eu acho que ficar sentado a comer até faz parte dos planos de muito boa gente =P

Rita disse...

Assim não tendo nada a ver, mas tive exactamente o mesmo problema quando entregava as fitas de final de curso. Pedia para escreverem coisas o mais original possível e que não copiassem poemas nem frases feitas mas, mesmo assim, levei com uns quantos "Parabéns por mais esta etapa na tua vida" e umas quantas frases copiadas da internet...

Gelatina de morango disse...

E depois de ires a vários casamentos, o teu vai ser quase perfeito ;)!

The Closet disse...

Gosto da ideia do livro de Honra :)

Pintas disse...

O livro de Honra está muito lindo :)