Revista Visão desta semana

10/12/2010


Infelizmente a violência não é apenas um problema dos adultos, mas que afecta igualmente as relações amorosas entre adolescentes e jovens. E apesar de ser um problema criticado socialmente, a verdade é que ainda acontece num número de casos preocupantes. Uma relação que já envolve violência no namoro dificilmente será um relação bem sucedida futuramente. E eu até podia dizer que toda a gente chega a esta conclusão facilmente mas então porque continua a verificar-se estes fenómenos?

A revista desta semana da Visão traz um reportagem sobre este problema. Se a violência dentro do casamento é tema, infelizmente, bem conhecido, a verdade é que ultimamente, vários estudos mostram que a violência começa no namoro. 
É urgente mostrar aos adolescentes que gostar de alguém não é fazer sofrer. 

E encontrei este artigo de 2009 que me deixa ainda mais preocupada. É um fenómeno crescente, por isso resta-nos estar atentos porque à nossa volta nunca se sabe quando está alguém que precisa de ajuda, de encorajamento para sair duma situação assim.

 

4 comentários:

Bunyssa* disse...

Tenho a revista cá em casa mais ainda nem tive tempo de a ler. Mas logo que tenho um tempinho vou dar uma vista de olhos. :)

Vida disse...

O que me deixa mais preocupada é quando tentamos ajudar e abrir os olhos das pessoas que passam por algum tipo de violência e estes parece que não querem ver e acreditam msm que é uma fase e que tudo vai melhorar!
Na minha opinião ninguém muda não nos podemos iludir!
Tema muito interessante!

Scarlet disse...

Hoje fiz uma chamada para a linha de apoio às vítimas de violência doméstica (http://www.portaldocidadao.pt/PORTAL/entidades/PCM/CIG/pt/SER_linha+telefonica+de+informacao+as+vitimas+de+violencia+domestica.htm) por causa da minha amiga A, de quem já falei no meu blog.
O ex-marido já lhe fez uma espera à porta do prédio, apontou-lhe uma arma à cabeça e com o outro braço prendeu-a e tapou-lhe a boca.
Há 2 semanas o filho de 15 anos foi assaltado, roubaram-lhe a mochila. Uns dias depois a minha amiga chegou a casa no fim do dia de trabalho, enfiou o pijama e deitou-se no sofá a ver televisão. De repente sentiu uma coisa à volta do pescoço. O ex-marido tinha-se escondido lá em casa, provavelmente usando a chave que estava na mochila que provavelmente roubou ao próprio filho. Ela já apresentou várias queixas à polícia, a dona da loja onde ela trabalha também. A polícia diz que sem a morada dele não podem fazer mais a não ser aparecer quando são chamados.
Durante esse telefonema fui atendida por alguém do serviço de emergência da segurança social que me perguntou o nome e data de nascimento do atacante e me respondeu "segundo a lei só posso dar a morada completa às autoridades, mas posso dizer-lhe a localidade onde ele mora". A polícia diz que não tem como saber e afinal parece estar à distância dum telefonema...

Nokas* disse...

Scarlet a história da tua amiga até me deixou arrepiada. Acho que tens de tentar tudo por tudo para que a situação fique resolvida e esse homem seja devidamente punido,porque deve ser um terror viver assim com um fantasma atrás. Toma as providencias necessárias e imforma a APAV também.