Coração de pedra

17/01/2011


[Preparem-se que é loooongo... Ou desistam já! :p ]

Acabei de chegar de um exame. E por incrível que pareça ainda não pensei no exame em si.
Pelo contrário, não consigo deixar de pensar numa situação que se passou durante o mesmo e me deixou profundamente triste e sensibilizada... após e mesmo durante o exame, fazendo até com que não conseguisse concentrar-me.
Pois bem, passo a explicar. Tenho no mestrado um colega turco. Ele é muito "fechado" e raramente fala com alguém, aliás poucas vezes lhe ouvi a voz... Penso que seja por não falar quase nada em português (e ter alguma dificuldade em expressar-se em inglês), para além de me parecer muito tímido.
No entanto, muito me surpreendeu quando a meio do semestre convidou a turma toda e a professora de uma disciplina (e sei que fez o mesmo com outras turmas e professores com os quais tem algumas disciplinas) para um jantar numa associação, que penso ser a que acolhe os turcos que vêm trabalhar ou estudar para o Porto e dá apoio a todos os outros que não precisam de "abrigo". No início pensamos que fosse uma forma de nos "impingir" alguma coisa (como somos mauzinhos por vezes), mas no fim do jantar chegamos à conclusão que era mesmo uma forma de nos mostrar um bocadinho da cultura deles e tentar acabar com alguns preconceitos que ainda existem. Para além de ter sido uma oferta muito generosa. Receberam-nos mesmo bem... Isto para dizer que, no fundo no fundo, o nosso colega tenta integrar-se no "grupo".

Acontece que hoje durante o exame passou-se uma situação que me deixou mesmo incomodada. Apercebi-me pelos suspiros que ele dava que a coisa estava "preta" para aqueles lados. A determinada altura dirigiu-se ao professor e fez-lhe uma questão à qual ele respondeu negativamente. Pelos moldes da situação e pela expressão de desilusão e aflição do meu colega (senti logo um "tiro" no coração) percebi logo que foi pedir-lhe para fazer o exame em inglês (facto que ele acabou de me confirmar via Facebook).
Mas, caramba, sendo o inglês uma língua "universal", com a qual devemos todos familiarizar-nos, porque razão o professor negou o pedido dele? Professor esse que nos dá sempre inúmeros textos em inglês para ler...
Ponho-me no lugar do meu colega e penso... fazer o exame em português já foi o "cabo dos trabalhos" para mim, que faria se me obrigassem a resolvê-lo em inglês (arriscar fazê-lo já demonstra muita força de vontade dele)... Agora pensem se eu tivesse de o fazer em turco (que é o mesmo que o meu colega ter de fazê-lo em português)...

Bem sei que podem alegar muita coisa... Que ele só está cá porque quer (calma lá, porque acredito que não tenha sido obrigado, mas nunca sabemos os motivos que estão por trás desta vinda dele)... Que o professor não tem obrigação de corrigir o exame em inglês (mas caramba... pela convivência sei que o "homem" domina o inglês e era só um exame... só um!!)... Que o que estou a dizer não tem sentido nenhum, eu é que sou uma sensivelzinha... O que quiserem...

Mas não custava nadinha ter dado a possibilidade ao rapaz... Foi mesmo por maldade (ou preguiça talvez, mas que se converteu num acto maldoso)...

Desculpem o "testamento", mas estou inconformada e não consigo pensar noutra coisa.
Até já chorei e sei que tão cedo não vou esquecer esta situação, pelo menos enquanto ele continuar meu colega...
Foi só um desabafo!




P.S: - Aqui que ninguém os ouve... esse senhor devia ter vergonha de dizer que é doutorado em Sociologia

9 comentários:

Bunyssa* disse...

Oh...ele foi querido ao fazer-vos o convite para jantar.
Já o Sr. Prof. Dr. enfim... esperemos que a vida lhe dê o devido "pagamento" pelo atitude. E, com certeza, há-de dar.

E tu, minha querida, tem calma. Sei que essas coisas mexem contigo... mas tenho a certeza que irás tentar fazer com que o teu colega se sinta melhor. :)

beijinho*

Bailarina disse...

Bem, este ps, acaba com tudo... Relmente para se tirar um curso, tem que haver queda para o mesmo!! Que tristeza...

klau* disse...

Que vergonha! Fiquei com pena do rapaz! Apesar de tudo espero que tire boa nota e tu também.

És boa pessoa por teres ficado sensibilizada dessa forma.

kiss

Anónimo disse...

Triste situação...este mundo está mesmo cheio de pessoas "pequeninas" e fracas.
E mal de nós quando dependemos da boa vontade dos outros...
atitudes dessas vindas de um professor são no mínino reprováveis.
Boa sorte para ambos!!! :)
Cláudia

margarida disse...

Se aceitam alunos estrangeiros deviam dar-lhes possibilidade de fazer exames em inglês. Por amor de Deus, quem é que aprende Português suficiente para fazer exames de nível universitário!
Já deixei esta mesma opinião em variadíssimos posts que abordam o assunto porque eu própria fui estudar na Finlândia, porque havia essa possibilidade, e fizeram-me os exames todos em inglês. Além disso o que mais me enerva é que a maioria das disciplinas têm bibliografia em inglês e supostamente é a língua científica e pardais ao ninho e depois só dificultam as coisas. Não sei de quem são as regras, mas são estúpidas.

Pérola disse...

é triste sim. se ele fizer recurso deveria pedir autorização ao conselho pedagógico para a realização do exame em inglês. pelo menos na minha faculdade funcionava assim.

Anónimo disse...

O teu mestrado é em que área? Adorei a tua sensibilidade e o blogue ;)

Ana

Rita disse...

Essa situação era impensável de acontecer na faculdade que frequentei. Logo no primeiro ano da licenciatura chegou um grupo da Rep. Checa para fazerem 2 ou 3 cadeiras nas quais eu também estava inscrita. Quando um dia chegamos à sala e o professor começa a falar em inglês quase caiu o carmo e a trindade naquela Universidade. Agimos como uma cambada de pitinhos acabados de sair do secundário com a mania que já sabiam tudo: que aquilo não tinha sentido nenhum, eles tinham vindo para cá porque queriam e o diabo a sete. Levámos uma reprimenda do director e assim foi, sempre que havia um grupo de erasmus para tirar dúvidas tinhamos que nos expressar em inglês, os enunciados dos exames eram em inglês (apesar de podermos responder em português), as apresentações de trabalhos eram em inglês. Custou mas foi. Todos os anos aparecia um grupo de estrangeiros na faculdade. Moral da história? Acabámos por ficar amigos de alguns, senti que desenvolvi bastante o meu inglês e, de alguma forma, preparou-nos para o mundo do trabalho.

Quanto à situação que relatas... Triste, muito triste esse professor. Espero que o teu colega não saia prejudicado. Se calhar também não adiantará de muito, mas talvez ele possa fazer queixa. Quem sabe se não trará frutos para futuros alunos?

Lila* disse...

Ohhh LaranjaLima, esse teu prof. devia de ser acusado de qq coisa, disctriminação, ou pelo menos pela falta de inclusao social...;(