Hoje o telemóvel ficou em casa a dormir uma longa sesta

03/03/2011


O meu pai diz frequentemente que não sabe se nós (geração mais nova) sobreviveríamos se tivéssemos de recuar no tempo e viver sem telemóvel, como acontecia quando ele namorava a minha mãe. Eu diria que acima de tudo é uma questão de hábito. Se temos telemóvel hoje em dia usamos, ainda por cima com SMS e chamadas à borla. Claro que se vivêssemos há 30 anos atrás, tínhamos que nos adaptar ao que havia. 

Hoje esqueci-me do telemóvel em casa, no bolso do roupão. Quando percebi isso já ia no comboio e já não havia voltar a dar. 
É estranho estar o dia todo sem estar comunicável e nem um computador há por perto para resolver tudo com um mail por exemplo. 
É estranho não lhe ter ligado de manhã nem à hora de almoço. Não sou viciada no telemóvel, raras são as mensagens que troco durante a manhã ou a tarde no trabalho, mas gosto de saber que estou ali à distância de umas teclas. Sem dúvida que é uma sensação diferente. Por isso acho que vou ver se ando com a cabeça mais alinhada logo de manhã para ver se não me esqueço do telemóvel. [Mais um sinal que a minha cabeça precisa de um fim de semana de quatro dias.] 


7 comentários:

Jo disse...

É uma sensação muito estranha. Detesto quando me acontece!

Sofia disse...

É uma sensação estranha, sim. Mas há dias em que o deixo propositadamente em casa, canso-me dele! :)

*Sininho* disse...

É mesmo estranho andar sem telemóvel, sinto-me tão incontactável...

The Closet disse...

Um dia inteiro sem o meu blacky???
Naooo!
Nem pensar, eu já perdi comboios pq voltei para tras para buscar o tele :)

Tanita disse...

Eu ainda sou do tempo em que não ahviam telemoveis, mas nem imagino como conseguíamos combinar as coisas, e chegar sempre a horas, nunca falhar...parece tudo muuuuuuuuuito distante. Será que estou a ficar velha? :)
Bom fim-de-semana.
Bj**

Ana disse...

São mais as vezes que me esqueço dele em casa do que as que o levo.Não ligo muito ao telemovel mas é bom andar sempre contactável para o caso de acontecer alguma coisa a algum dos nossos. mas é mais forte do que eu, nem sei como nunca perdi nenhum!
Beijinhos

*C*inderela disse...

eu já não me imagino sem o meu telemovel.