Eu diria que acima de tudo foi uma estratégia de marketing muito bem sucedida.

01/05/2012

Hoje vivi uma quase completa "experiência sociológica" num hipermercado Pingo Doce. Eu e muitas outras pessoas neste país. E os ingredientes chaves foram a paciência e boa disposição, mesmo que nem todas as pessoas pensassem como eu. Pelo menos na fila onde estava, as pessoas não eram dadas a grandes peixeiradas e foi tudo mesmo muito pacifico.
Claro que o contraditório deste dia, feriado nacional, Dia do Trabalhador, foi o extremo trabalho a que estiveram sujeitos todos os funcionários deste hipermercado, logo hoje que deveriam usufruir do seu belo descanso.
Mas, apesar disto, os clientes agradecem e o consumidor (no fundo) é o que fica a ganhar com tamanha concorrência entre Pingo Doce, Continente e afins.

p.s. O senhor que estava à minha frente fez umas "modestas" compras de 580 e tal euros, tendo pago 290 e pouco euros. Eu limitei-me a fazer as minhas compras mensais. Ainda bem que nem toda a gente foi como ele, senão acho que pouco sobrava para os outros clientes...
E é incrível como neste tipo de situações verificamos que as pessoas compram em quantidade, não pensando na utilidade real daquilo que levam. O que importa é levar, se realmente é fundamental ou não, isso não interessa. Ora, eu trouxe aquilo que compro sempre que vou ao hipermercado no início do mês. E acho que o problema é que nestas alturas há muitas pessoas que se dispersam a comprar uma tonelada de salsichas, uma tonelada de atum, outra tonelada de batatas fritas, 12 garrafas de wishky (e afins...) em vez de se focar no que realmente é importante no consumo diário/mensal de uma casa. Acredito que hoje muitas famílias portuguesas gastaram muito mais do que o seu orçamento normal permite.

9 comentários:

Alexandre disse...

Na comunicação social têm por hábito demonstrar o que mais de grave se passou daí só comunicarem o lado mau da coisa. :)

*C*inderela disse...

Deve ter sido uma rica experiência sociologica :P Eu cá fiquei em casa, não quis ser esmagada numa secção qualquer, lol.
Coitados dos empregados que ganharam mais trabalho no dia do trabalhador!!

Bjokas

belle du jour disse...

eu não consegui... chuifff!

Quel* disse...

Tanto querem aproveitar a promoção para poupar que acabam por não poupar nada.

Sofia disse...

É isso que eu penso. Com aquela ideia louca de aproveitarem a promoção, devem ter levado mais do que precisavam e isso não é poupar.

Gabo-te a coragem e a paciência. :) Não precisava de ir lá, mas se precisasse, acho que não ia.

stiletto disse...

A minha mãe é que tem razão, daqui a uns tempos devem estar a deitar fora o que compraram e não chegaram a gastar.

Inês Menezes disse...

É o efeito que os descontos provocam...as pessoas acabam por perder a cabeça querendo aproveitar a promoção, levam tudo sem pensar se precisam

a Gaja disse...

Se eu não tivesse trabalhado o dia todo tinha ido aproveitar para fazer as compras mensais sem exageros...mas quando lá cheguei era o caos e prateleiras vazias. Pensei que não estava para aquilo e vim embora. As pessoas são levadas pelo consumismo...se ao menos os exageros de ontem tivessem feito com que não tivessem que fazer compras durante meses...mas não. A loucura faz as pessoas perderem as estribeiras.

Social Work disse...

Como tudo na vida: moderação - é a chave. Obviamente que aproveito estes dias ou os 75% de outros supermercados para comprar 6 embalagens do detergente XPO que adoro a 3 euros, entre muitas outras coisas. Há coisas que valem a pena nomeadamente, detergentes, lampadas, utensilios de limpeza e outros objectos cujos prazos de validade são muito largos. O segredo é ir cedo às compras. Mas mesmo assim desespero. Imagino o resto do dia...