Eu e a Ryanair: uma relação na corda bamba

04/06/2012


A viagem a Barcelona correu muito bem mas terminou com uma grande aventura.
Na segunda-feira, dia 2 de Abril, ao final da tarde lá fomos nós para o Aeroporto. Jantamos, compramos umas gomas para nos entretermos enquanto esperávamos, entramos para a zona de embarque. Esperámos algum tempo, ouvimos que alguns voos estavam a ser cancelados devido à greve de controladores aéreos que estava a acontecer naquele momento em França mas nunca nos passou pela cabeça que nos ia acontecer o mesmo.
A verdade é que, algum tempo depois, ouvimos que o voo para o Porto tinha sido cancelado também. Pânico! Tínhamos que estar no trabalho no dia seguinte e não estávamos a ver muitas soluções. Respiramos fundo e fomos falar com um dos funcionários do aeroporto que estava na porta de embarque.
Confirmação: "Sim, o voo foi cancelado. Há um amanhã às 9h mas tem de se despachar porque a fila no balcão de informação da Ryanair está enooooorme! Mas...podem sempre tentar pela Internet".

1ª Solução: Ligar à minha mãe e pedir que tentasse tudo que fosse possível para alterar o nosso voo para amanha seguinte. E sair da zona de embarque, procurar o balcão da Ryanair e ver o que seria possível fazer.
Claro que, como podem imaginar, a fila era enoooorme! Todos os passageiros estavam lá menos nós que já estávamos prontinhos para embarcar.
Aproximamo-nos do balcão e perguntamos a um grupo que estava lá o que se passava e que soluções tínhamos. O grupinho disse-nos para ficarmos ao pé deles, para não irmos para o final da fila e que assim seria mais rápido.
Quatro horas e muita discussão depois, a incompetente que nos atendeu disse que a solução era o voo que haveria na sexta-feira (lembram-se de eu ter dito que era segunda feira!?) mas eles só asseguravam as despesas de alojamento e de alimentação de um dia. Algumas pessoas conseguiram voos com escala para o dia seguinte: Barcelona-Madrid-Porto; Barcelona-Munique-Porto; Barcelona- Santiago de Compostela...enfim... Mas para mim e para o B. já não havia solução! Nada! Não havia nem sequer voos com escala em qualquer outro ponto, foi uma das coisas que pedi.
Tudo isto seria "compreensível" se a fulana que nos atendeu não fosse uma grandessíssima estúpida. Primeiro dizia que não sabia falar inglês, a outros pedia para falar inglês, quando queria percebia perfeitamente português, a outros dizia "no te entendo!”, levantava-se e ia beber coca-cola e rir-se com alguns colegas, enquanto nós esperávamos uma solução. Como podem imaginar, foi tratada de tudo por algumas das pessoas presentes. Acho que aprendeu algumas palavras novas em português: a gente do Norte não brinca, quando está furiosa! :p
Claro que eu já bufava por todos os lados, não tínhamos solução, estávamos a ficar sem bateria no telemóvel, tudo a correr mal. Farta de tudo e, acima de tudo, da fulana, pedi a devolução do dinheiro.
Metemo-nos num táxi, voltamos para o hotel onde tínhamos ficado e reservamos um quarto [o último disponível!!!]. Entretanto, a minha mãe viu que haveria uma comboio no dia seguinte ao inicio da noite. De manhã, acordamos e fomos logo para a estação para comprar bilhetes (uma pequena fortuna!!!). E adivinhem!! Os últimos dois bilhetes que havia, por sorte na mesma carruagem!
Dois dias depois do previsto, após 14 horas de viagem de comboio e com a carteira bem mais leve, chegamos finalmente a casa, com a certeza de que para a próxima vou pensar duas vezes antes de abrir o site da Ryanair.*




*Sim, a culpa da greve não é deles. Mas não gostei da forma como fui tratada pela funcionária deles nem gostei que não tivessem feito o mínimo esforço para encontrarem soluções.
 Custa-me a crer que não houvesse um avião disponível em Girona ou em Madrid, os aeroportos mais próximos. A viagem estava paga. Qual é a diferença de o avião vir de França ou vir de Madrid

4 comentários:

Lila* disse...

Se me acontecesse a mim, tinha de vir da Alemanha de comboio ou da Eslovénia;(
Pelo menos nunca mais te vais esquecer, minha Buny=)

Simples e Elegante disse...

que confusão :s

Anne Crystal disse...

Foi mau, mas conheço uma situação de uma colega que parece bem pior.
Ela, a irmã, a mãe e o padrasto foram fazer um cruzeiro, mas partia de barcelona. quando voltaram do cruzeiro foram ao aeroporto, deixaram as malas e foram passear em barcelona já que o voo era só à noite. Já estavam todos os passageiros no avião quando uma das hospedeiras a chama a ela e à irmã, e disse que elas não podiam viajar naquele voo porque estavam na 'lista negra'. Apesar de todos os esforços delas ninguém lhes explicou o porquê de não poderem viajar lá e acabaram por pedir então as malas delas que já estavam no porão. A mãe disse que se as filhas nao podiam viajar ela também não as ia deixar em Barcelona às 11 e tal da noite sozinhas e sem saber para onde irem. Lá as mandaram ir buscar as malas e quando lá chegaram faltava 1 mala e o piloto recusou ir buscá-la (quando era obrigação dele!). Por isso elas dizem 'nao podiamos viajar porque?era terroristas?entao e se fossemos foi uma mala nossa no avião à mesma...podiamos lá ter posto uma bomba!'.
Lá foram para o hotel e a agência de viagens com quem trabalham conseguiu-lhes viagem para o dia seguinte pela EasyJet, mas para Lisboa (o da Ryanair onde nao puderam embarcar em para o Porto). Voltaram, dirigiram-se ao Porto para ir buscar a mala que lhes faltava. A mala realmente estava lá, mas por causa do peso,etc elas tinha colocado alguns objectos na mala de porão em vez daquela que vai na cabine. Então na mala que foram buscar tinham posto relógios, pulseiras da pandora, etc... tudo junto seriam uns 1000euros. Foi tudo roubado e a Ryanair não se responsabilizou por nada, para além de que não lhes explicou porque não puderam embarcar.
Já viram o que é um avião inteiro a olhar para vocês quando as hospedeiras dizem que não podem embarcar porque estão na lista negra, e depois ainda dizem 'é melhor verificarem a bagagem de mão, não vão elas ter roubado alguma coisa'

É muito, muito mau!!

Bunyssa* disse...

Anne Crystal: Bem, que situação!!! Eu já tinha viajado pela Ryanair e nunca tive problemas.
Ainda por cima, a nossa situação era complicada porque não havia nenhuma companhia low cost com viagens nos dias seguintes. Houve um senhor que ainda conseguiu um bilhete na TAP por 100 e poucos €. Mas quando fomos ver já estavam a mais de 500€ cada bilhete!
Viajar de avião era completamente impossivel, nos dias seguintes! Ainda por cima era a semana que antecedia a Sexta-Feira Santa e a Páscoa.
Ainda se falou em alugarmos todos um autocarro mas entretanto cada um foi arranjando uma solução!
Pagamos mais 200€ pelos bilhetes de comboio. Foram 14h de viagem mas o comboio era confortavel, era o "Trenhotel".