Espero bem que isto não pegue moda nos carros de matrícula portuguesa

30/08/2012


Não sei se foi algo sentido em todo o país, mas pelo menos por estes lados, a grande moda, este ano, nos carros dos emigrantes portugueses, foi o símbolo da Federação Portuguesa de Futebol. Perdi a conta aos símbolos que já vi, seja no vidro, seja nas matrículas. Se fosse a bandeira de Portugal, eu ainda poderia compreender - era a paixão pelo país de origem. Assim só consigo explicar pela enorme dedicação destas pessoas à seleção. Mas eu, mesmo gostando de futebol, era incapaz de fazer tal coisa. Mas gostos não se discutem. E cada um é como cada qual e põe o que quer no seu veículo.

9 comentários:

Jo disse...

Só vi um exemplo destes, com isto colado num vidro. Muito feio mesmo. Ainda por cima tinha os vidros escuros, o que realçava ainda mais o símbolo..

Mas enfim, cada um com os seus gostos.

omelete disse...

que medo ! felizmente ainda não me cruzei com nenhum :)

Maggy disse...

agora que falas, realmente também vi alguns carros com esse símbolo.lol espero mesmo que não peque pr cá isso

Inês de Sousa disse...

Gostos não se discutem mas lá que é piroso, é. Enfim.

S* disse...

eheheh aqui há disso!

Filipa Andrade disse...

MEDO!!! Vi imensos carros assim, neste "querido" mês de Agosto... Gostos não se discutem mas... ODEIO, ODEIO e ODEIO!!! (Isso e outras coisas...)
Beijinhos

Anne Crystal disse...

Por acaso também já me cruzei com uns quantos exemplares!

R* disse...

Opá eu sou sincera, vi a ideia e adorei.
Significa que apesar da merd* de país que temos neste momento, ainda há pessoas (imigrantes vá) que nos colocam acima de tudo com todo o orgulho do mundo e nos defendem com unhas e dentes.
Eu pessoalmente não era capaz de o meter no meu carro mas acho bonito os imigrantes o fazerem ;)

Nocas disse...

Sou emigrante mas odeio... mas pior ainda, foi ter ido actuar com o rancho em que ando aqui na Suíça a uma festa na França, no dia de Portugal, festa de portugueses, tudo cheio de carros com essas "belezas" nos vidros e, durante toda a festa, inclusive a apresentar os grupos e tudo, falarem sempre em francês (este também nem sempre bem falado).
O apresentador do nosso rancho foi o único que ousou falar em português do início ao fim da nossa actuação, dizendo mesmo "com todo o respeito mas estou a representar o folclore português numa festa de um centro português no dia de Portugal, Camões e das Comunidades, pelo que vou falar Português"...