Saudades do Porto

11/01/2013

Como as coisas mudam...
Há 2 anos atrás escrevia este post e há 4 anos escrevia este. Hoje podia escrever um igual, mudando apenas alguns pormenores... Se na altura tinha saudades de Caminha, hoje (que já voltei à minha terra) tenho saudades do Porto. E tantas...



Cada vez sinto mais saudades do Porto.

Embora adore viver em Caminha, o Porto "acolheu-me" durante 8 anos.

Tenho saudades, e sinto mesmo necessidade, de acordar naquelas manhãs frias mas solarengas, ou mesmo nas chuvosas, ir à varanda e ver/sentir todo o movimento da Rua Júlio Dinis (ao qual na altura não achava piadinha nenhuma), que me dava a "genica" necessária para iniciar um novo dia.
Tenho saudades de acordar de manhã (ou já à tarde), fazer uma torrada e um café com leite e tomá-los a correr porque já estava atrasada para as aulas na faculdade.
Tenho saudades do miminho das amigas, dos jantares, das maluqueiras, das conversas parvas e das sérias...
Tenho saudades de fazer tudo à minha maneira.
Tenho saudades de apenas ter de enviar meia dúzia de mensagens para juntar um grupinho e ir até ao Piolho.
Tenho saudades de passar na rua e não conhecer ninguém.
Tenho saudades de chegar à noite e ficar enroscada no meu sofá [terrivelmente desconfortável e pequeno (e eu sou enorme LOL)] com uma mantinha e uma chávena de chá.
Tenho saudades dos finos (os melhores) na Cervejaria Galiza.
Tenho saudades das tardes de estudo (ou não) no Palácio de Cristal.
Tenho saudades de ter espetáculos e restaurantes "diferentes" à "mão de semear".
Tenho saudades da praxe e dos jantares de curso no DIU.
Tenho saudades de me baldar às aulas porque a companhia e a conversa são boas demais.
Tenho saudades de passear em Cedofeita e aproveitar os saldos.
Tenho saudades de tomar um café numa esplanada aos primeiros dias solarengos da Primavera.

Não pensem vocês que detesto Caminha... Não, chego mesmo a adorar. É a minha terra e é aqui que me sinto "em casa". Tenho os meus amigos, a família, a (nova) rotina... Não tenho uma casa só para mim (e para as dezenas de pessoas que, por vezes, lá pernoitavam e conviviam) nem toda a independência que isso permite, mas estou sempre pertinho da minha mãe e dos meus amigos (alguns).
Mas... e os outros amigos? E a outra casa? e a outra vida?

Adoro a minha vida em Caminha, mas tenho saudades do Porto... MUITAS!!!!





E deparo-me com mais uma coincidência. Mais uma vez passaram 2 anos (e 4) quase exactos. Com a diferença de agora os exames já não estarem presentes na minha vida... Então altero a minha tese para outra que defende que as saudades da "outra casa" (aquela onde vivo menos tempo de momento) não têm a ver com a época de exames, mas sim com o início do ano, uma vez que as sinto sempre mais intensamente no início de Janeiro. Ainda gostava de perceber o porquê...


4 comentários:

Rachelet disse...

Binde, ora! O Porto continua isso e ainda tem mais! Estão sempre a abrir recantos novos por aqui.

Lila* disse...

Tens de voltar para o nosso Porto;)

LaranjaLima* disse...

Quem me dera Lila!!

Harmony disse...

Este post já é antigo, mas mal li tive que comentar. Percebo totalmente a magia. É uma cidade muito especial! E quem lá estuda/vive sabe que nunca se esquece.